Odonata 2018

A Odonata é o nosso grande lançamento de inverno!

Essa é uma cerveja que não só caiu no gosto do público, como é fantástico produzi-la todos os anos.
É esta cerveja que nos permite fazer experimentações todos os anos com uma base de Imperial Stout com mais de 12% de ABV.
No ano de 2016, pegamos a base de uma RIS e envelhecemos em 9 barris de carvalho americano por 4 meses.
Para cada 3 barricas, blendamos a RIS envelhecida e adicionamos um ingrediente.
A Odonata #1 foram frutas vermelhas, #2 com baunilha e #3 com café. Este lote foi totalmente envasado em chope e infelizmente não engarrafamos nenhuma delas. Mas, quem sabe, um dia voltarão.

Em 2017, chamamos alguns parceiros para apadrinharem as cervejas e resolvemos envelhecer a mesma base por pelo menos 6 meses, porém com barricas que continham bebidas anteriormente.
A Odonata #4 foi feita em parceria com o César Adames, grande especialista em Cuba e seus produtos. Envelhecemos em 3 barris de carvalho americano que continha rum. Já a Odonata #5 foi feita em parceria com o autor do blog O Cão Engarrafado e especialista em whiskies, Maurício Porto. Envelhecemos mais 3 barricas que continham Single Malt, naturalmente escocês. O terceiro blend de 2017, foi uma parceria com a Dinah Paula, proprietária da Quinta das Castanheiras. A cachaçaria nos forneceu 3 barricas de carvalho francês onde antes estava a premiada cachaça ouro.

Em 2018 resolvemos mudar tudo novamente. Se tem algo que eu acredito que pode ser genuinamente brasileiro, e que já conta com grande história no mundo da cachaça, é o uso das madeiras brasileiras. São mais de 240 madeiras testadas para envelhecer cachaça. E por que não usar isso nessa base que gostamos tanto que é a Odonata?

Chamamos os especialistas Isadora Fornari e Maurício Maia, para serem os nossos parceiros desta edição. Escolhemos barricas novas, sem uso anterior, de madeiras virgens e sem tosta para esse envelhecimento. E foi um aprendizado tremendo, pois os tempos de envelhecimento foram completamente distintos. As madeiras mais sutis como Jaqueira e Jequitibá, ficaram com a cerveja por 6 meses, até bem próximo do lançamento. Enquanto isso, as madeiras mais agressivas, Bálsamo e Amburana, ficaram prontas muito rápido, entre 2 a 3 meses. Espere aromas bem diferentes em uma típica RIS.

As Odonatas #7, #8, #9 e #10 tiveram um interesse muito alto pelos pontos de venda e foram 100% vendidas na pré-venda. Espero que você e seus clientes tenham gostado do resultado!

Posts relacionados

O CERVEJEIRO FALA

Aqui, o Victor Marinho, nosso cervejeiro, fala principalmente, mas não só, sobre os nossos produtos – de lançamentos de edições especiais, ao relançamento de cervejas sazonais já consagradas, sem esquecer dos produtos limitados e das cervejas colaborativas.

siga a libélula



Newsletter


Cervejas Sours
Sem categoria

Cervejas Sours

Sour significa ácido, azedo. Cervejas Sours passam por um processo de acidificação na fermentação, o que faz o seu pH baixar, e consequentemente conferir um

Leia Mais »
Cervejas Trapistas
Sem categoria

Cervejas Trapistas

A Ordem Trapista é uma Ordem religiosa de monges beneditinos cenobitas, ou seja, que vivem em comunidade. Embora o nome oficial seja outro (Ordem dos

Leia Mais »
Você tem mais de 18 anos? Seja bem-vindo! Para continuar, você confirma ter mais de 18 anos?